sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Estudo bíblico para crianças - Parábola dos dois filhos

Ao professor: Parábola dos dois filhos (Mateus 21:23 - 32)


A vontade de Deus é boa, agradável e perfeita (Romanos 12:2b)
A explicação da parábola:


1)O pai: Deus
2)Os filhos: obedientes e desobedientes


Obedientes: são os que se arrependem, confessam os pecados, abandonam, faz as devidas reparações e tomam providências para não repetirem o erro, se regeneram, transformando em obreiros na "vinha do Senhor".


Desobedientes: são os que procuram manter uma aparência de respeito e de religiosidade, mas que apesar da organização não fazem a vontade do pai.
Professor, o filho obediente é aquele que realmente reconhecer o pecado (Mateus 12:41), se arrepende e confessa. Podemos pecar, e vamos, mas o processo de santificação não pode ser interrompido.


Reflita: Servo fiel é aquele que procura e pratica a vontade de Deus, e não aquele que segue tradições religiosas e não obedece aquilo que ensina.


Professor, tem praticado aquilo que tem ensinado aos seus alunos? (Mateus 23:3 - "Fazei e guardai, pois, tudo quanto eles vos disserem, porém não os imiteis nas suas obras; porque dizem e não fazem).


Memorização do versículo (Romanos 12:2b):
"A vontade de Deus é boa, agradável e perfeita."


Introdução: Pergunta às crianças e espere respostas:
O que é sentir vontade?
É ter desejo de comer ou fazer alguma coisa, por exemplo: tomar sorvete, comer pizza, passear, comprar uma roupa, ir à piscina, brincar, etc.


E quando essa vontade não pode ser realizada naquele momento, como você age?
Respostas negativas: Chora, fica triste, emburrado, insiste até conseguir, mente para satisfazer a vontade, etc.
Respostas positivas: compreende, fica triste mas espera com paciência, deixa pra lá, etc.


Outra pergunta: Deus tem vontade?
A resposta das crianças pode ser sim ou não. Vamos ver na Bíblia (leia o versículo primeiro na Bíblia, depois no visual):
Explicação: Sim, Deus tem vontade, mas a vontade de Deus é sempre boa, quer dizer, que nunca nos prejudica, é seguro e também é agradável, isto é, Ele tem prazer em nos agradar!
E perfeita porque ela é completa, é maravilhosa e não há nenhum defeito.


Aplicação à criança:
Deus nos fez com vontade, mas muitas vezes, a vontade que sentimos nos leva a fazer coisas que não agradam a Deus. A vontade de Deus é que você seja salvo, receba o perdão dos seus pecados, tenha uma vida cheia do Espírito Santo e que conheça e obedeça a Sua Palavra.
Deus sempre te amou e sempre vai te amar, e quer cuidar de você, por isso a vontade de Deus sempre é a melhor.


Memorização: (mínimo sete vezes)


Jogo do eco: o professor diz o verso, a turma toda ecoa.
O professor deve dizer alguma característica, por exemplo, olhos azuis, os meninos, cabelos castanhos; e em seguida, somente as crianças que tenham as características mencionadas devem ecoar o versículo.



Esboço lição 4 - Os Dois Filhos


Texto Bíblico: Mateus 21:23-32
Objetivo do professor:
Que a criança obedeça não somente no falar, mas também na maneira de agir.
Ensino principal à criança: que você perceba que o que você faz é mais importante do que você diz e tudo o que disser que vai fazer deve cumprir.


Introdução: Pode ser teatro, fantoche ou contar a historinha.
Personagens: narrador, mamãe, João, Guilherme.


Narrador: Alguma vez sua mãe pediu para você fazer alguma tarefa em casa? Com certeza sim!
Na casa de João e Guilherme aconteceu uma situação parecida. Vamos ver qual foi?
Mamãe entra no quarto de João e diz:
- Filho, ontem a noite houve muito vento e as folhas das árvores cairam na calçada. Gostaria que você pegasse um saco de lixo e uma vassoura e limpasse a frente da casa.
João: - Ah, não mamãe! Você não está vendo que estou muito ocupado? Estou trabalhando neste avião e não quero parar.


Narrador: João continua a fazer o avião com palitos de sorvete, queria terminar rápido para brincar com ele.
A mãe deu meia volta e saiu procurando o outro filho. Ele estava assistindo televisão.
Mamãe: Guilherme, você poderia limpar a calçada da frente? Porque está cheia de folhas por causa do vento de ontem.
Guilherme: - Sim mamãe, eu vou!
Mamãe: - Que bom! Vou deixar o saco de lixo e a vassoura perto da porta.


Narrador: Depois a mamãe saiu para fazer compras no mercado, João começou a pensar: 
- Eu posso limpar a calçada e ainda terei tempo de brincar com o avião hoje.


Narrador: Então, muito disposto, João foi limpar a calçada.
Quando a mamãe chegou do mercado, viu João trabalhando e perguntou:
-Cadê o Guilherme?
João: - Não sei mamãe! Dá última vez que o vi, estava assistindo televisão.


Narrador: Pergunte as crianças: Qual dos dois filhos será que agradou e obedeceu a sua mãe?
(espere as respostas).
Na parábola de hoje, Jesus contou uma situação parecida, para mostrar como algumas pessoas respondem a Palavra de Deus. Vamos ver como foi?






Andamento:
Jesus estava no templo ensinando. Muitas pessoas estavam ouvindo Jesus, entre essas pessoas tinham muitos líderes religiosos que não gostavam de Jesus e começaram a fazer perguntas difíceis só para verem o que Jesus responderia. (v. 23)
Eles não conheciam quem era realmente o Senhor Jesus, por isso não gostavam dEle. Mas a Bíblia diz, em João 3:16, que " Deus amou o mundo de tal maneira", significa que Deus ama a todas as pessoas, amava aquelas pessoas e ama a mim e a você também. Por isso enviou aqui neste mundo o seu único filho, o Senhor Jesus , para morrer na cruz tomando o castigo do nosso pecado, por amor a cada um de nós, para que eu e você possamos ser salvos e ter a vida eterna.
Mas aquelas pessoas, os líderes religiosos, não conheciam quem era o Senhor Jesus de verdade. Então Ele contou uma parábola com a intenção de incomodar os religiosos da época e fazê-los pensar em sua vida. (v. 28 a 30)
(Conte a história com suas próprias palavras ou leia diretamente na Bíblia.)


Clímax: Depois de contar a parábola, Jesus fez uma pergunta aos líderes religiosos:
(Leia na Bíblia v.31) - Qual dos dois filhos havia obedecido ao seu pai? O segundo filho. (Deixe as crianças responderem!)


Conclusão: Jesus disse aos líderes religiosos, que eles eram como o primeiro filho da história. Porque diziam amar a Deus, mas não faziam a vontade dEle.


Aplicação à criança: Deus quer que você obedeça não somente nas palavras, mas também fazendo aquilo que você fala que vai fazer. Por exemplo: sua mãe pediu para guardar os brinquedos e você disse sim, mas continuou brincando, e depois foi fazer outra coisa, deixando tudo espalhado. A Bíblia diz que desobediência é pecado, falar que vai fazer algo e não fazer, isso não agrada a Deus!
A Bíblia diz que todos nós pecamos, eu e você! Todos nós fazemos coisas erradas, por exemplo: mentir, responder ao pai e a mãe, brigar com irmãos ou amiguinhos, falar que fez a lição de casa e não fez, etc.
Você tem sido desobediente?
Saiba que não cumprir aquilo que fala que vai fazer e não faz é pecado. A Bíblia diz que você deve se arrepender, confessar os seus pecados para Deus e que Ele perdoa. (Leia 1 João 1:9)


Vamos orar: Querido Deus, peço que me ajude a ser obediente, que o Senhor me perdoe pelas vezes que falei que ia fazer algo e não fiz. Em nome de Jesus, amém!


1) Faça apelo para as crianças que ainda não receberam o Senhor Jesus como Senhor e Salvador.
2) Faça um desafio às crianças: entregue para cada criança um lembrete do versículo Romanos 12:2 b e desafie a criança a todos os dias da semana, de preferência de manhã, ler o versículo e orar pedindo ajuda a Deus para ser obediente não somente nas palavras, mas também fazendo aquilo que fala que vai fazer.


Não se esqueça de perguntar a elas no próximo domingo se lembraram de pedir ajuda a Deus. Deixe que testemunhem!


Atividade em classe:
Leve figuras de crianças ajudando em casa, na escola, na igreja, etc. e pergunte às crianças como elas podem ajudar em sua casa, na escola ou na igreja. Deixe que elas dêem sugestões, depois mostre figuras de crianças ajudando e desafie às crianças a ajudarem durante a semana. No próximo domingo, pergunte às crianças quem ajudou.


Sugestões de ilustrações e desenhos:

( Para salvar as imagens em seu computador clique com o botão direito do mouse sobre a figura, depois clique na opção "salvar como". Pronto, agora é só imprimir).


















História Bíblica para crianças - Os três empregados (Parábola dos talentos)

Versículo para memorizar - Lição 5
Os três empregados (Parábola dos talentos)



Base bíblica - Mateus 25:14-30
Versículo para memorizar: 1 Pedro 4:10 a - "Servi uns aos outros, cada um, conforme o dom que recebeu."


Introdução: ilustração - parábola do lápis (use os lápis que as crianças usam para fazer suas atividades, e diga a eles que lapís não fala , é somente um faz de conta).
Certa vez, em uma fábrica de fazer lápis, o fabricante falou aos lápis, dizendo:
- Precisam saber cinco coisas antes que eu os mande ao mundo: lembre-se sempre e se tornará o melhor lápis.
1º Será capaz de fazer grandes coisas, mas apenas se permitir ser seguro pelas mãos de alguém (pegue um lápis e segure firme).
2º De tempos em tempos experimentará cortes doloridos, mas isto é necessário para que se torne um lápis melhor (pegue um lápis sem ponta, e aponte, depois mostre o lápis apontado).
3º Tem habilidade para corrigir qualquer erro que possa cometer (pegue uma folha e escreva a palavra "pecado", depois risque e escreva "amor").
4º O mais importante em você será o que está dentro (mostre um lápis meio descascado, enfatize o que está dentro dele).
5º Tem que continuar escrevendo em qualquer condição. Deve sempre deixar uma marca clara e legível, não importa o quanto difícil seja a situação.


No versículo de hoje, que vamos abrir agora, vai nos explicar melhor, a respeito dessa parábola.
Apresentação: Leia o versículo primeiro na Bíblia, depois no visual.
Explicação do versículo: Servi uns aos outros significa que temos que trabalhar em benefício do outro, não visando o lucro pessoal. E que cada um de nós, que somos diferentes uns dos outros, recebemos de Deus dons e habilidades e que devemos nos dedicar o máximo que pudermos.


Aplicação à criança: como na história do lápis, cada um de nós é como um lápis. Deus é o nosso criador e precisamos estar seguros em suas mãos, ás vezes passamos pos situações difíceis, passamos por provas, mas é para que sejamos melhores.
Deus pode mudar qualquer coisa na nossa vida, Ele nos perdoa e nos ensina a recomeçar. O mais importante é o nosso coração, o que tem por dentro de cada um de nós e o que podemos oferecer a Deus em benefício da sua obra para ajudar outras pessoas.


Memorização: Repetir pelos menos sete vezes.
Você fala, as crianças repetem, como se fosse um eco. Depois pergunte quem conseguiu memorizar e chame para recitar o versículo.


Ao professor:
Nesta parábola os talentos tem um sentido figurado que representam valores pessoais, aptidões naturais, oportunidades que Deus nos dá para fazermos sua obra. Eles representam os dons de Deus, de Cristo e do Espírito Santo, que são capacitações especiais do Espírito Santo agindo no crente para o progresso da obra de Deus na terra.
Na parábola, o Senhor chamou seus servos e deu-lhes os seus bens. A um servo cinco talentos, a outro dois talentos e a outro um talento. Não houve qualquer injustiça de sua parte. O fato de ter dividido os seus bens de modo diferente não foi uma injustiça. "Foi dado a cada um segunda a sua capacidade".
Muitas vezes ficamos triste porque não recebemos tantos talentos ou aptidões para fazer a obra de Deus, porém devemos, ao invés de ficar chateados, nos dispormos e dedicarmos maior tempo de nossa vidas para a obra de Deus. Deus quer prioridade, quer nossa dedicação e fé em seu poder para nos usar em mais talentos. A prateleira de Deus está cheia dos melhores talentos e estão a nossa disposição, basta abrirmos nossos corações para Deus e dizer a Ele: "Usa-me a mim Senhor".
Devemos trabalhar na obra de Deus, visando o Reino dos céus, visando agradar o Senhor e Salvador Jesus Cristo e não visando nosso lucro pessoal.
Em 2 Coríntios 5:10, a Bíblia diz: "Um dia todos nós teremos que prestar, contas de tudo que tivermos feito através do nosso corpo aqui na terra".


Explicação da parábola:
Talento: valor muito alto, um talento de ouro ou prata era uma quantia muito grande.
Personagens: o senhor e três servos.
O senhor: representa o Senhor Jesus Cristo; Os servos: a igreja.
Primeiro servo: recebeu muito porque tinha a capacidade de produzir muito.
Segundo servo: fez o que lhe era possível, produziu de acordo com sua capacidade.
Terceiro servo: escondeu o talento, provando ser negligente e infiel, além de perder seu talento.


Esboço da lição 5: Os três empregados (parábola dos talentos)
Base bíblica - Mateus 25:14-30
Versículo para memorizar: 1 Pedro 4:10a
"Servi uns aos outro, cada um, conforme o dom que recebeu..."


Objetivo do professor: que a criança creia que Deus lhe dá dons e capacidades e que ela deve ajudar as pessoas através dos dons e capacidades que Deus lhe deu.


Ensino principal à criança:
Você criança deve crer que Deus lhe dá dons e habilidades e quer que você use esses dons e habilidades para ajudar e também para falar do amor que Deus tem por elas.


Introdução: Direto na história
O Senhor Jesus gostava de contar histórias. Ele estava assentado no monte das Oliveiras ensinando aos seus discípulos sobre muitas coisas, e entre esses ensinamentos contou essa parábola que vamos ouvir agora.
Andamentos:Conte com suas próprias palavras, mostrando recursos visuais.
Jesus falou nessa parábola a respeito de um homem que, ao viajar, chamou seus servos e deu a um cinco talentos, a outro dois talentos e a outro um talento.
Talento era a moeda usada na época, e cada talento valia muito dinheiro.
Depois que ele partiu, o servo que tinha cinco talentos, negociou e ganhou cinco talentos. O que recebeu dois, também negociou e conseguiu mais dois talentos, mas o que tinha um, escondeu-o na terra e nada fez com ele.
Quando o homem voltou, reuniu os servos e pediu-lhes conta daquilo que tinham recebido, e cada um lhe apresentou os resultados.
O que tinha cinco talentos, apresentou dez talentos. O que tinha dois talentos, apresentou quatro talentos. E o que tinha um talento, apresentou apenas um talento.
O homem elogiou os servos fiéis que produziram lucro e falou de forma dura com aquele servo que não produziu nada dizendo que ele foi mal e negligente.
Conclusão: Deus nos deu talentos especiais para utilizarmos no Reino. Esses talentos não são moedas como na parábola que Jesus contou, mas habilidades, dons, para que possamos ajudar as pessoas e também falar do amor que Deus tem por elas.


Aplicação à criança:Deus tem lhedado dons e habilidades para que você possa se desenvolver e ajudar outras pessoas como por exemplo: cantar, tocar, ofertar, orar, zelar, cuidar, ensinar, dançar, etc.
Deus quer que você seja dedicado, não tenha preguiça para fazer prosperar nos dons e habilidades que Deus tem lhe dado.
Que não use somente para benefícios próprio, mas para que o Reino de Deus cresça na terra.


Oração: Bondoso Pai, obrigado pelos dons e habilidades que recebemos do Senhor. Pedimos que nos ensine a usá-los de maneira correta e proveitosa. Em nome de Jesus, amém.


Professor, não se esqueça de fazer apelo dando oportunidades para as crianças que ainda não receberam o Senhor Jesus como Salvador, sejam salvas.


Atividade em classe:
Distribua folhas de sulfite as crianças e peça a elas que escreva ou desenhe habilidades que eles tem no lado direito da folha, e do lado esquerdo que escreva ou desenhe como elas podem ser usadas por Deus.
exemplo:
Minha habilidades: O que posso fazer com elas:
- Cantar - participar do louvor 
- Dançar - dançar no louvor

Sugestões de ilustrações e desenhos: 















Estudo bíblico para crianças - A Parábola dos Talentos

 “Parábola dos Talentos”



1. Contar a parábola de um jeito alegre, carinhoso. Pense em Jesus e imagine como ele contaria essa parábola para eles.

(Lembre-se: quando escuta uma historia, a criança sente os adultos como parte do seu mundo, da sua realidade e percebe que são capazes de sentir, pensar e se emocionar com a trama da historia. È ouvindo historias que se pode descobrir outros lugares, outros tempos, outros maneiras de agir e de ser, seguir outras regras. É duvidar, perguntar, questionar. É formar opinião, é uma maneira de construir o próprio caminho).

2. Explique que os talentos naquela época eram dinheiro, mas para nós são”dons”, (presentes) que só Deus pode nos dar. O que fazer com os presentes que recebemos de Deus? Enterrá-los ou cultiva-los? Abrir para discussão, avaliando se entenderam o sentido da parábola.

3. Distribuir vários círculos como se fossem moedas, e pedir que escrevam neles dons de Deus.



4. Depois, incentive a troca entre eles, oferecendo uns aos outros os talentos que receberam.

5. Encerre com uma oração de agradecimento pelos dons que recebemos de Deus.










Estudo Bíblico para crianças - A parábola das dez virgens

Parábola: As Dez Virgens 


Propósito

Incentivar todas as crianças a prepararem-se espiritualmente para a segunda vinda de Jesus Cristo.

Preparação

1. 

Em espírito de oração, estude Mateus 25:1–13 e Doutrina e Convênios 45:56–57, 63:53–54. Depois, estude a lição e decida como deseja ensinar a história das escrituras às crianças. (Ver “Preparação das Aulas”, p. vi, e “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.)
2. 

Escolha as perguntas do debate e as atividades complementares que envolvam as crianças e melhor as ajudem a alcançar o propósito da aula.
3. 

Material necessário:

a. 

Uma Bíblia ou um Novo Testamento para cada criança.
b. 

Cartazes com os dizeres:


As dez virgens = Os membros da Igreja


Azeite = Preparação espiritual


O Noivo = Jesus Cristo


As bodas = Segunda Vinda de Jesus
c. 

Gravura 7–25: A Segunda Vinda [Pacote de Gravuras do Evangelho (34730 059) – 238]

Sugestões para o Desenvolvimento da Lição

Convide uma criança para fazer a primeira oração.

Atividade Motivadora

Peça às crianças que finjam que a classe vai viajar.

• O que temos de fazer para nos prepararmos para a viagem?

• O que devemos levar?

Diga: “Vamos viajar e levaremos _____________”, diga o nome do que levarão. Peça que uma criança repita a frase incluindo o que você disse que levariam e acrescente outra coisa. Continue, pedindo que as crianças digam todas as coisas citadas anteriormente e acrescentem uma. Dê a cada criança a oportunidade de participar uma vez ou mais, dependendo do tamanho de sua turma. Sempre que necessário, ajude a citar as coisas a serem levadas.

Saliente que a preparação é parte importante de muitas coisas na vida.

• Citem algumas coisas para as quais podemos preparar-nos, além de viajar.

Discuta brevemente como nos preparamos para a escola, para uma refeição, para a noite familiar, etc. Diga às crianças que nesta lição aprenderão como podem se preparar espiritualmente para uma coisa maravilhosa que acontecerá no futuro.

História das Escrituras

Ensine a parábola das dez virgens às crianças. (Mateus 25:1–13) (Para sugestões de como ensinar as histórias das escrituras, ver “Ensinar Usando as Escrituras”, p. vii.) Diga às crianças que Jesus sempre ensinava por meio de parábolas, utilizando objetos e situações comuns para ensinar uma verdade espiritual oculta. Ele utilizava as parábolas para que apenas quem estivesse disposto a estudá-las compreendesse a verdade. (Ver Mateus 13:10–17.) Ajude as crianças a compreenderem que essa parábola compara a segunda vinda de Jesus Cristo, que é quando o Salvador voltará à Terra para governar durante o milênio, a um casamento.

Diga que a parábola das dez virgens baseia-se em antigas tradições matrimoniais judaicas. O noivo e seus amigos acompanhavam a noiva da casa dela até a casa do noivo. Os amigos da noiva esperavam ao longo do caminho para juntarem-se a eles. Quando chegavam à casa do noivo, todos entravam para o casamento. Os casamentos costumavam ser feitos à noite, por isso as pessoas que esperavam a noiva e o noivo levavam lamparinas.

Debate

Ao preparar a aula, estude as seguintes perguntas e referências de escritura. Utilize as perguntas que mais ajudem as crianças a entender as escrituras e aplicar os princípios em sua vida. Ler as passagens de escritura indicadas durante a aula ajudará as crianças a passarem a compreender as escrituras.

• Quem as dez virgens simbolizam? (Mateus 25:1) Quem o noivo simboliza? (Jesus Cristo)

• Como sabemos que todas as dez virgens acreditavam em Jesus Cristo? (Mateus 25:6–7. Elas “saíram ao encontro” do noivo e esperaram por ele.) Como demonstramos que acreditamos em Jesus?

• Por que cinco das virgens são chamadas de loucas? (Mateus 25:3) Por que cinco foram chamadas de prudentes? (Mateus 25:4)

• O que aconteceu quando o noivo chegou? (Mateus 25:6-8) Em sua opinião, por que as virgens loucas estavam tão despreparadas? Em sua opinião, como podemos estar preparados quando Jesus voltar?

• Em sua opinião, por que as cinco virgens prudentes não deram do azeite que tinham? (Mateus 25:9) Por que elas não poderiam dar um pouco do azeite para as outras? Diga que as lamparinas judaicas tinham um formato, com a borda exterior virada para dentro, que tornava quase impossível passar o azeite de uma lamparina para outra. (Ver a ilustração no final da lição.) Na parábola, o azeite da lamparina das virgens prudentes representa sua obediência e retidão. Cada um de nós enche a própria lamparina, que representa nossa vida, com a obediência e a retidão. As bênçãos que o Pai Celestial nos dá por nossos atos dignos não podem ser dadas a pessoas desobedientes.

• O que aconteceu às cinco que não estavam preparadas? (Mateus 25:10–12) O que aconteceu às cinco que estavam preparadas? Por que é importante que nós nos preparemos para a Segunda Vinda? Como podemos encher nossa lamparina de azeite?

Leia esta citação do Élder Bruce R. McConkie: “Preparamo-nos individualmente para encontrarmo-nos com Deus guardando Seus mandamentos e vivendo Suas leis. (…) O evangelho em sua plenitude eterna, conforme restaurado nestes últimos dias, está aqui para preparar um povo para a segunda vinda do Filho do Homem”. (The Millennial Messiah (O Messias Milenar), p. 572.)

Peça às crianças que leiam Mateus 24:36 e 25:13. Explique-lhes que assim como as dez virgens não sabiam a hora exata em que o noivo chegaria, não sabemos quando, exatamente, Jesus retornará.

• Como tudo vai ser quando Jesus voltar? (Doutrina e Convênios 45:56–57; 63:53–54) Que bênçãos estão reservadas para quem estiver preparado espiritualmente? (D&C 38:30)

Sugere-se que você faça a atividade complementar 2 como revisão desta lição.

Atividades Complementares

Você pode usar uma ou mais das atividades abaixo, em qualquer momento da aula, ou como recapitulação, resumo ou desafio.

1. 

Discuta brevemente estas informações para familiarizar as crianças com a segunda vinda de Jesus Cristo:


Quando Jesus deixou os Apóstolos em Jerusalém, anjos disseram-lhes que Ele voltaria uma segunda vez. (Atos 1:9–11)


Somente o Pai Celestial sabe quando será a segunda vinda. (Mateus 24:36)


Jesus virá com poder e glória e reinará na Terra por mil anos. (D&C 29:11)


Precisamos preparar-nos para a segunda vinda de Cristo. (D&C 33:17–18)


Os justos que estiverem preparados para a segunda vinda de Jesus estarão com Ele nesse grande dia e habitarão na presença do Pai Celestial e de Jesus para sempre. (D&C 76:62–63)

Dê uma cópia do desenho da lâmpada que está no final da lição a cada criança, ou então desenhe uma lâmpada no quadro. Peça às crianças que escrevam no desenho coisas que encherão a lâmpada espiritual delas de azeite, ou que citem essas coisas para você escrever no quadro. (Algumas das idéias podem ser: prestar o testemunho, aprender o evangelho, servir ao próximo, pagar o dízimo, viver de modo a ser digno da companhia do Espírito Santo, orar, cumprir com os cargos da Igreja, etc.) Ajude-as a perceberem que essas coisas elas têm de alcançar ou fazer por si mesmas para ter azeite espiritual na lâmpada, como as cinco virgens prudentes.

Compare o que as crianças escreveram na própria lâmpada com as idéias que o Presidente Spencer W. Kimball deu: “Na vida, o azeite da preparação é juntado gota a gota no viver reto. A freqüência à reunião sacramental acrescenta azeite à nossa lâmpada, gota a gota com o passar dos anos. O jejum, a oração familiar, o ensino familiar, o controle dos apetites do corpo, a pregação do evangelho, o estudo das escrituras, cada ato de dedicação e obediência é uma gota a mais em nossa reserva. Os atos de bondade, pagar as ofertas e o dízimo, os pensamentos e ações castos, o casamento no convênio para a eternidade: também são um acréscimo importante ao azeite com o qual, à meia-noite, poderemos recarregar nossa lâmpada vazia”. (Faith Precedes the Miracle, p. 256.)

Discuta maneiras que as crianças ainda não tenham mencionado de acrescentarmos azeite a nossa lâmpada. Deixe que elas acrescentem algumas à própria lista se desejarem. Ajude as crianças a compreenderem que essas coisas não podem ser deixadas de lado até que o Salvador venha.
3. 

Leia a seguinte citação do Presidente Spencer W. Kimball: “As dez virgens pertenciam ao reino e tinham todo o direito às bênçãos — contudo cinco delas não foram valentes e não estavam prontas quando o grande dia chegou. Estavam despreparadas porque não viviam todos os mandamentos. Ficaram amargamente desapontadas por serem excluídas das bodas — como acontecerá com os [membros] que, em nossos dias, [não estiverem preparados].” (O Milagre do Perdão, p. 19.)
4. 

Cante ou leia “Quando Jesus Voltar”. (Músicas para Crianças, p. 46.) Depois de cantar, peça às crianças que imaginem como seria ouvir Jesus dizer-lhes: “Fizeste bem menino bom, em Meus braços ficarás”.

Conclusão

Testemunho

Preste testemunho da importância de prepararmo-nos para a segunda vinda de Jesus Cristo vivendo retamente. Diga às crianças o quanto você considera importante ser digno de tomar parte nesse importante acontecimento.

Designação de Leitura Sugerida

Sugira às crianças que estudem, em casa, Mateus 25:1–13 para recapitularem a lição.

Convide uma criança para fazer a última oração


Atividades e Desenhos































Estudo bíblico para crianças - Parábolas de Jesus: Tesouro Escondido.

Parábolas de Jesus: Tesouro Escondido.

Base Bíblica: Mateus 13.44-46

Memorizar: "Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta" Hebreus 12:1 


Ao prosseguir os ensinamentos através de parábolas, Jesus comparou o reino dos céus a um tesouro escondido e a uma peróla valiosíssima. Quem achava esses obejetos vendia tudo o que tinha para obtê-los.
Com isso, Jesus quis dizer que o reino dos céus, ou seja, a salvação, tem um valor tão grande, que devemos nos desfazer de tudo aquilo que possa nos impedir de conquistá-la.
A busca pelo reino dos céus deve estar acima de tudo. Ela precisa ser o alvo principal da nossa vida. Portanto, devemos nrenunciar tudo que nos impeça de chegarmos lá.

Clicar na imagem para salva-la em tamanho original.
Sugestão: Colorir e colar em papel resisten colorido, plastificar.



Atividades

Baú utilizado para contar a história:



Molde Utilizado para fazer o Baú:


Material que utilizei para fazer o Baú:
01 Uma caixa de tênis infantil;
E.V.A Marrom;
Pedaços de Papelão;
01 Papel Laminado Dourado;
Cola quente;
01Pistola de Cola quente.

Hora da Lembrancinha:Material Utilizado:
E.V.A Marrom;
Cola quente;
Pistola de Cola Quente;
Imã;
Caneta permanente
Cola Glitter.


Brava Cursos Online com certificado.